17
Abr
05

Tantos meses depois: a verdade!

Tantos meses depois: a verdade!

Joao Mario, isto è para ti, “subtilezas pra puta k as pariu”, queres a verdadeiras historia, com todas as letras e todos os nomes? Esta aqui.

LV, isto è também para ti. Lembraste de quando falamos dizermos “Hey, temos tanto para por em dia…” ou “Tens de me contar direitinho essa historia do Fanfas”. Esta aqui.

Ari, Pako, Joao Luis, parrraxistas em geral? Esta aqui.

So é pena que isto nao possa tudo ser dito e falado com todos (como eu quereria) e ter de ser escrito… Culpo a distancia.
Isto tem tudo a ver com o blog do final do Verao do ano passado, o tal do god e da agressao no Kaloyro, etc… Que todos estao mais ou menos a par de tudo, nao me quero estar para aqui a repetir. Punha-vos aqui o URL daquele blog mas ja nem me lembro, procurei na net e n encontrei.

Aquele blog se bem me lembro durou uma semana (desde o dia em k foi lançado até à cena do Kaloyro, depois da qual misteriosamente, o blog desapareceu da web). Nesta dita semana, muito se passou entre vàrias pessoas relativo àquele blog. Por muitos indicios, eu pessoalmente achei que o autor da obra (blog) era o Fanfas.

(Nota: nao vou entrar nos porques. Os indicios eram muitos e foram escritos devidamente, como opinioes minhas, so!)

Havia gente que achava que o autor do blog era eu proprio, houve gente que pensou que foi o Carlota, e gente que pensou o Joao Luis, entre outros. Com o desenrolar dos escandalos e do impacto daquela pagina, quem quer que estivesse sob suspeita da autoria dela, estava em maus lençois. Pessoalmente (e como sabia que eu, nao tinha sido) estava descansado, e passei essa semana com o Fanfas e o Joao Luis, e mais tarde com o Carlota e os demais. Quanto mais tempo passava e mais indicios juntava, mais tudo apontava para o Fanfas (ou pessoas proximas deste). E como era amigo deste, disse-lho, um dia nessa semana: “Fanfas, pah, eu acho que és tu. So podes ser. Por isto, aquilo, o outro — leia-se as tais dezenas de indicios que (nao) referi acima —, és tu meu.” Disse-lhe isto na Bell’èpoque, numa tarde em que depois desta conversa se juntaram a nos as namoradas respectivas e tomamos uns cafés. Ele respondeu-me, jurou-me que nao era ele, que ele nao tinha nada a ver com o blog, nem sabia quem pudesse ter. Bem, a mim, nao me bastou, nao acreditei, e disse-lho. A minha opiniao mantem-se, embora tu (a mim) nao mo admitas, és tu, pensei. O Fanfas foi mais longe e disse-me: “Eu também achava que eras tu. Na minha optica, so podias ser.” Eu entendi, achei piada até, mas nao me importei muito com isso. Jurei-lhe também que eu nao podia ser, por muitas razoes.

Entao dissemos ambos, se nao és tu e nao sou eu, a proxima pessoa na lista da desconfiança é o Joao Luis. E fomos falar com o Joao Luis.
Este jurou que nao era ele. Disse até que pensava que era eu. Compreendi.
A semana foi passando, a minha opiniao nao se alterava, e dei-a a pessoas que ma pediam, no estilo “Eu sei que o Fanfas é meu amigo, mas eu sinceramente, acho que é ele, por isto, mais isso, etc”.

O Sequeira, outro amigo meu (este mantém-se) é um dos lezados pelo blog, veio no dia anterior “ao Kaloyro”, pedir-me explicaçoes: corria que eu era o autor. Talvez até fosse a hipotese mais forte, e ele começou a querer “conversar” com todas as hipoteses na lista, que eram faladas. Eu estava à cabeça…

Foi uma conversa em minha casa, em que ele estava bastante alterado. E me perguntou entre muitas coisas se era eu, se sabia quem era, se desconfiava de alguém etc. Eu fui sincero com ele (como alias, fui com toda a gente). Disse-lhe que eu nao tinha sido, quem eu achava que era e os porques; mais: passei-lhe por escrito tudo o que era a minha “pequena investigaçao” da altura, que ele juntou à dele (de longe mais exaustiva que a minha). A minha, indiciava claramente o Fanfas e/ou o Salvador e/ou mais alguém de Coimbra que podia ser colega ou amigo destes, do circulo ou nao de Mirandola, basicamente.

A historia teve o desfecho conhecido no Kaloyro. Com consequente envolvimento hospitalar, familiar, criminal e judicial. A nivel Parrraxista, a consequencia foi a dissoluçao do Fanfas como membro activo, nao por consilio, mas por iniciativa do proprio. Embora hoje ele apregoe aqui no blog que NUNCA SAIU do MP, isso nao è verdade. Que o digam as pessoas que o ouviram por aquelas alturas maldizer o grupo, o MP, a doutrina, etc, subentendendo a sua saida directa.

(O melhor de toda a historia esta porvir. Até aqui foi simplesmente como eu a vivi, naquela semana quente.) Depois do tal desfecho, descobriu-se em conversa com todos que o Carlota, pediu ao Fanfas explicaçoes sobre o inicio do boato, ao que o Fanfas pouco ligou, e devia ter ligado, ou aberto o jogo com o Carlota que se sentiu “apertado” (pelo Sequeira), em ultima analise pelas acçoes do “amigo” Fanfas, ja que ao Sequeira chegou que tinha sido o Carlota a lançar o boato sobre a Silvia no Kaloyro e logicamente pensou que o Carlota estava ligado à feitura do blog. O que obrigou a (também) uma conversa entre Carlota e Sequeira, e a um stress compreensivel do Carlota que na altura se sentiu “pressionado”. Descobriu-se também que o Fanfas, durante aquela semana me dizia a mim (quando estava sozinho comigo) que achava que o autor era o Joao Luis, e reciprocamente, quando estava com ele (no mesmo periodo de dias) lhe dizia que achava que o autor era eu.

Mais tarde, com o divorcio total entre (principalmente) o Fanfas, e eu e o Joao Luis, começaram a acontecer “coisas estranhas” na vida liceal do Joao Luis, por intervençao directa ou indirecta do Fanfas (nisto nao vou entrar em pormenores, falar com o proprio se interessados), e até a outras pessoas queridas do amigo Joao Luis aconteceram coisas estranhas… (o Joao Luis decidiu nao testemunhar a favor do Fanfas. O porque, è perguntar-lhe a ele. Mas quem testemunhava para defender alguém que tinha tentado acusa-lo? Eu nao.)
A mim, como por pouco sitios me podia afectar, surgiram boatos engraçados aos ouvidos da Joana, por exemplo (entre outras pessoas) de que eu no seio dos parrraxistas era o mais perverso, o que so falava em sexo, o mais cusco, eu so falava mal dos outros e que ninguém nos parrraxistas gostava de mim… Rapidamente localizei a fonte de todos os boatos sobre mim… o Fanfas. (No fundo compreendia-o. Afinal eu tinha tido grande peso na decisao do Sequeira em agredi-lo no bar, sendo eu um amigo do Fanfas. Pois bem, eu nunca disse nada nas costas do Fanfas que nao dissesse ou tenha mesmo dito à sua frente ou pior, a ele mesmo directamente! Onde esta a minha hipocrisia e falta de moral? O Fanfas pode dizer o mesmo?)
Estes boatos, chegaram-me aos ouvidos em Novembro (2 meses depois do murro), nao consigo estimar por quanto tempo andaram a vogar pelos ares antes de eu saber. Coincidentemente eu fui a Portugal nessa altura, por uns dias escassos, e fui disposto a pedir explicaçoes à pessoa em questao. Nao o encontrei. No entanto sim, encontrei o grupo dos parrraxistas, que imediatamente confrontei (colectiva e individualmente) com os boatos, e se estes (na opiniao deles) poderiam ter algum fundamento de verdade. Nao. Felizmente “claro que nao” nas bocas deles, nomeadamente Ari, Zubias, Pako, Ken, Carlota… Obrigado.

O que aconteceu, foi que eu parei no tempo em Setembro, que foi quando vim para Italia. Para mim hoje, nao ha mais desenvolvimentos. Continuava a achar (até ha pouco tempo) que o autor (ou um dos) era o Fanfas, com tudo o que isso implica. Mas (parece que) a realidade em Portugal é diferente. O Fanfas, foi reaproximando-se do grupo. Voltou a sair com elementos do grupo, a sentar-se à mesma mesa, e cada vez se encontrar mais proximo, principalmente do Zubias, do Ari, incrivel, até do Carlota; andando no ar um cheiro a perdao e a “podes voltar Fanfinhas”… Eu entendo, é normal e nao me magoa! Principalmente para o Zubias (longa amizade, familias amigas, vizinhos…), para o Ari (o mais pacifista do grupo, envolvido como testemunha no processo contra o Sequeira…) e para todos os outros que estiveram longe da historia e/ou nao foram envolvidos directamente nela, como o Ken, o LV, o Pako, etc… Ja me custa a entender mais o Carlota e a sua reaproximaçao ao Fanfas, mas nada disso me diz respeito.

O Fanfas, saiu dos parrraxistas. Tou-me a cagar se agora ele desdiz tudo o que disse. Mas se o querem confirmar, è conversar com gente que o ouviu naquelas alturas, alias, basta ver um comentario por ele (pensa-se, e ele nao o contradisse nunca, ainda) posto a um post “Um dia um parrraxista disse: Os bons Fodem-se. Os maus Fodem-nas!“ que realmente é uma frase dele. Que ele comenta da seguinte maneira “Um parrraxista nao, o Fanfas!“…
Recordo, que quando isto sucedeu com o Angelo, que voluntariamente deixou o grupo, no jantar em que ele se propos regressar, foi condiçao essencial nao haver sequer um voto contra, para ser readmitido. Houve abstençoes, nao houve contras e ele hoje é e continua a ser um grande parrraxista.

Até aceito e nao me magoa, que muitos desejem (para além do proprio) o reingresso do Fanfas ao grupo. Afinal nao foram atingidos directamente por toda a sordida historia ou simplesmente, gostam dele. Dois atributos que eu nao partilho. Mas é normalissimo! Como ja disse em recente conversa com o Ari, eu nao sou incapaz de perdoar tudo o que ele me fez e tudo o que de mim disse! Mas para que isso aconteça, é preciso que haja boas explicaçoes da parte dele. Explicaçoes que me iluminem sobre os porques de tantas coisas. E receio que essa explicaçao nao exista para além da pura maldade dele.

FELIZMENTE, o tempo veio a dar-me quer toda a razao (às minhas suspeitas), quer toda a coerencia (aos meus actos subsequentes). A policia judiciaria, descobriu que o autor de tudo aquilo foi… o Fanfas! Através do numero de série realizou que o blog tinha sido elaborado no PC do Salvador, Coimbra.Um PC portatil de quem nem os pais do Salvador sabiam da existencia (muito menos de conexao à internet na casa de Coimbra), que vivia escondido por la… Penso que enquanto escrevo estas linhas, (dos parrraxistas) so eu, o Ari, o Zubias, o Joao Luis e o Diogo sabemos do facto recente.

Mas ha um grande problema, que nao deixa de ser curiosissimo. Ao ter sido descoberto este facto, e o envolvimento (se bem que leve) do Salvador na historia, parece que os animos se esfriaram e ja ninguém se quer lembrar ou estar a chatear-se por causa disto. Como se ja nao houvesse interesse em que se descubrisse tudo. Como se toda aquila indignaçao dos lezados (Katy, Caratina, Bruno Diogo, Silvia…) tivesse evaporado e ja a ninguém interessar quem foi afinal “o god”! A impunidade, retorcidamente, acolhe o Fanfas, afinal! Mas eu continuo a ter interesse em confronta-lo! Em confronta-lo com tudo isto!

Afinal, eu nao consigo olhar para tras e nao me aperceber que tive de me esforçar e puxar da minha capacidade para limpar o meu nome naquela semana. Nao me consigo esquecer que podia ser eu a levar no fucinho e precisar de dentes novos! Nao da para olvidar, que pelo Fanfas fui acusado de falso, mentiroso e hipocrita por nao testemenhuar e ter dito ao Sequeira, que achava que era o Fanfas, o autor! Nao consigo nao me recordar que naquela semana que durou o blogzinho, o Fanfas dizia à boca pequena e nas minhas costas que achava que era eu o autor (perguntar a Catarina, Katy, Débora, etc), quando ele melhor que ninguém sabia que tinha sido ele, e sabia que quem quer que fosse estava muito fodido na cidade… Se o Carlota consegue estar à mesa, jantar, sair pra noite, viver perto de alguém que fez com que se pensasse que ele até podia ser o autor, fechando os olhos enquanto o Carlota sofria por causa do blog, pah… nao tenho nada a ver com isso. Se o Joao Luis consegue cumprimentar um gajo que lhe fez passar pelo que passou no liceu? Também me é igual ao litro… Eu? Nao, nao consigo. Para ja! Se me fossem explicadas certas coisas… (Isto é um exagero: nem Carlota nem Joao Luis se voltaram a dar com o Fanfas: mas ninguém é tão pouco civilizado ao ponto de expulsar alguém com quem nao se dá quando este num local pública se senta à mesma mesa…)

Naquela semana, o Fanfas podia ter-se aberto com os parrraxistas, comigo, com o Zubias, com o Ari, com alguém! Voluntariamente nao o fez e nao foi por falta de oportunidade! Pior! Ele podia ter escolhido os parrraxistas, naquela semana! Ao invés escolheu outros amigos, que afinal nao o ”encobriram até à morte”! Quem sabe se se tivesse aberto, hoje nao teria tantas testemunhas de que tanto precisa no seu processo de agressao contra o Sequeira? Quem sabe hoje nao estaria no grupo? A dada altura, ele viu os parrraxistas como a ultima escapatoria de confundir todos os que o leram, tentando incriminar primeiro o Carlota, depois o Joao Luis e finalmente eu proprio! Se isto nao è falsidade, hipocrisia e falta de moral, nao sei o que sera! Espero que de para entender a ironia de uma pessoa à que eu nao admito que me venha escrever coisas como “Um parrraxista so nao trai outro” ou “Que moral!”, que moral!!!

Quando reconto esta historia a amigos meus que estao a acabar psicologia, eles dizem-me que o personagem de que falo apresenta (quase) todos os sintomas de uma patologia conhecida: um mentiroso compulsivo, mente compulsivamente, e repete a mentira de tal forma que acaba por acreditar MESMO na mentira criada! Penso que o Fanfas è o unico que acredita que nao foi ele o autor do blog; para se estar a tentar reaproximar do grupo e dos amigos de que tanto mal disse, so pode acreditar que aquela historia nao aconteceu como aconteceu! Mas também, depois de conseguir mentir a toda a gente (excepto o Salvador?), incluindo pais, namorada e amigos, acabar por acreditar nisso, nao deve ser dificil!

Se se chegar ao cumulo de ter de votar para a sua reentrada, vos digo desde ja: se eu for o unico a votar contra, saio eu, prefiro. E nao fico magoado com ninguém, comprendo, porque o tempo passa e as coisas perdem intensidade, è normal, principalmente para todos os que nada tiveram a ver! Tal como nao admitirei que ninguém fique magoado comigo se eu vier a sair, por nao conseguir estar perto do Fanfas, sem me apetecer ganhar um processo por agressao.
Esclarecidos?

Nexis

PS — Este texto so foi publicado, com a devida autorizaçao de pessoas, que pelo contendo se podem sentir lezadas, entre as quais, Joao Luis, Carlota (não confirmado) e Ari.

Anúncios

8 Responses to “Tantos meses depois: a verdade!”


  1. 1 LV-426
    Domingo, 17 Abril, 2005 às 21:35

    Mt conturbada… passado tanto tempo, esta história inda e! Por um lado agradeço a Deus num ter tido nem de longe nem de perto nada haver com nenhuma conversa ou comentário em relação a esta história toda, dou-me por lisonjeado ter sido das ultimas pessoas a saber da existencia do blog, de nem seker ter estado em Mirandela na altura mais problemática, porque realmente… isto é um “circo do caralho”. Só faço votos pa que isto fique por aqui, quem quer ter certas e determinadas atitudes, boas ou más ou certas ou impróprias que tenha, mas que este fado acabe de uma vez, porque realmente já cansa.

    ABSTENHO-ME em tudo, não vivi as situações de perto nem de longe, poderei tomar um partido enquanto inserido no seio do MP, e em assuntos que tenham somente haver com o MP a partir da altura em que me disseram “Fazes Parte”, tudo o resto é-me totalmente desconhecido e duplamente distante.

    Para mim pessoalmente, a partir deste comentário, deixei de fazer parte activa nas conversas que vizavam xegar a uma conclusão que trouxesse paz a ambos os lados da história (sempre como parrraxista e nunca como Bruno ou até LV)e ao fim de tudo isto.
    Na minha humilde opinião mais conversas e opiniões em relação a isto só serão possiveis entre as pessoas vizadas no post do nexis como intervenientes directos, as pessoas que viveram pessoalmente a história toda.

    “Tantos ao burro, e o burro no chão”

    XEGA!!!!!

  2. 2 Ari
    Segunda-feira, 18 Abril, 2005 às 13:17

    Depois de tanto tempo, a verdade. Será a verdade total? Será parcial? Não quero estar a duvidar de ng, ms ha partes nesta historia que eu gostava que fossem verdade e outras que eu não gostava mm nd que o fossem. Como se pode apurar? O velho método ja referido várias vezes e o qual tb eu defendo, CONVERSAR, a conversar é k a gente se entende(e eu não gosto de usar frases feitas).
    Tal como diz o LV, estarei disposto a fazer parte de uma “mesa-redonda” apenas se extritamente necessario, pois se me quiserem de fora, inda melhor, konfusões não são o meu forte e directamente eu não tenho nd a ver kom o k s passou.
    Agr, que isto não pode ficar assim ,não pode, principalmente depois dos ultimos acontecimentos, penso que basta haver vontade e disposição para que finalmente se chegue a uma conclusão, oportunidades não hao-de faltar.

    Como acho que ja escrevi demais, vou aguardar futuros desenvolvimentos(ja dizia o outro: “eu não fico por aki, eu vou andar por ai…”); ms salvo se m vir obrigado a escrever mais kk koisa sobre este assunto, não vou utilizar mais o blog para emitir opinião, prefiro falar directamente(em pessoa ou não) com quem quer que seja, e caso me peçam para tal, pk lenha pra fogueira eu nc botei nem hei-de botar…

    (mais uma vez apelo aos comentarios do ppl…)

  3. 3 Ari
    Segunda-feira, 18 Abril, 2005 às 13:19

    Erro ortografico men’s: “extritamente” ta mal, é “estritamente”.

  4. 4 Rellax
    Segunda-feira, 18 Abril, 2005 às 19:09

    E prontos, só mesmo pra não ficar calado, só me resta sublinhar o que já foi dito: resolvam lá isso (a tão famosa via do diálogo costuma resultar) porque o parrraxismo é, antes de tudo o resto, um grupo de amigos.

    (Como dizem os amigos do Tio Sam)
    Peace

  5. 5 Pako
    Segunda-feira, 18 Abril, 2005 às 19:14

    Infelizmente eu fui envolvido… n sei pk, mx fui envolvido! O k me diziam era k desconfiavam tb de mim por saber mt de computadores… dps ja tinha inventado um dos boatos k constavam no blog… enfim… Se neste post ta a verdade, então k se faça justiça!

  6. 6 Nexis
    Terça-feira, 19 Abril, 2005 às 13:32

    Errata: onde diz “foi publicado, com a devida autorizaçao de pessoas, que pelo contendo se podem sentir lezadas, entre as quais, Joao Luis, Carlota” deve ler-se “foi publicado, com a devida autorizaçao de pessoas envolvidas”.

    O Carlota, nao me deu autorizaçao para falar dele, e fez-mo saber, bastante desagradado com o que escrevi. Tem todo o direito a que conste a sua opinião. Fica a nota.

    Relembro que o que aqui está escrito contém muitas opiniões pessoais, e jamais eu poderei ser afectado por aquilo a que tenho direito nao ser abonatório de alguns visados.

  7. 7 Zupaxis
    Quinta-feira, 21 Abril, 2005 às 14:10

    olhem la ppl, deixem.se dissos, acho k aguas passadas nao movem moinhos, acho k ng sabe kem fooi nem kem deixou de ser, e acusar alguem injustamente tb nao é o mais correcto, ate porque nem tudo k por vexes parece é!! Atençâo k eu n tou a defender nem a acusar ng, ate pk ewstou neutro neste assunto! So acho k este assunto n devia ter voltado á ribalta!! Abraços

  8. 8 konami
    Quinta-feira, 21 Abril, 2005 às 14:11

    O anterior comment é meu!!
    Nexis: nao defendo ninguem nem acuso ng!!
    konami


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: