20
Dez
07

6º e último Bloco: O Fim (Eng. Relações Inter-Sexuais)

Il Grande Finale! Este bloco pode suceder qualquer outro. Não necessariamente vem depois duma Relação! Pode vir depois do Sexo, ou até da Abordagem. E espero bem que pelo menos, chegue depois desta! A Abordagem é a ignição de tudo, e envergonhem-se aqueles que fantasiam as abordagens e sistematicamente não as concretizam! Aliás, tenham vergonha aqueles que por falta de coragem, se ficam por qualquer bloco menos intenso que o seguinte!

O final é sempre melodramático, pelo menos os bons finais, são! Quando é para o nosso lado que vai custar mais (que para o delas), tanto pior: vamos amargurar-nos e (conforme a intensidade) ponderar o futuro, remoer o passado… “O que é que faço?” e “O que é que eu fiz?” Porém, já nada disso interessa! É o grande tempo dos chavões: “Há mais marés que marinheiros”. “Guardado está o bocado para quem o há-de comer”, “Ela não te merecia”, “Deus não dorme”, etc, etc, etc… o que é importante, e por mais absurdo que soe na altura (e pareça que vamos sofrer para sempre como aí), a dor passa, acaba, e realmente “O tempo cura tudo” (aprendi isto há pouco, acreditem). No final (se doloroso), são os amigos aqueles que têm o maior poder de nos reabilitar para o mercado de novo…

Não há um melhor método para o Fim, quando somos nós a invoca-lo. Secondo me, é de evitar o desligar completo, principalmente quando já há algo sério. Não se faz, e é aqui que se vê o quão cavalheiros nós somos: quando realmente custa ser cavalheiro. Devemos prezar os nossos princípios, e se não fomos sinceros antes, pelo menos agora no final devemos tentar sê-lo mesmo! Que nada fique por dizer, e que fique bem claro, de preferência dito em pessoa, in loco, afinal, esta será a nossa última conversa, certo?

Depois há o “meio-fim”, ou o “fim-ordinário”, no que despimos a armadura, e esquecemos que somos cavalheiros… Aquele final, em que não é bem o final que nós queremos: umas foditas são bem-vindas, mas a asfixia já começava a ser impraticável, e não era uma relação a sério que afinal queríamos continuar/começar com este espécime… Mas ninguém disse que a real queca tinha de terminar também, ou disse? Na minha opinião, isto é um subterfúgio de uma semi-relação: ficamos ali no “vai não vai” para prolongar uma conita certa… Ela no fundo apercebe-se de tudo (eu suspeito que sim) e andamos ali os dois a enganar-nos mais uns tempos, com a terra à vista, e conscientes de que o barco vai encalhar mais cedo ou mais tarde. No entanto é tanto pior quanto mais sentimento andar envolvido (do lado dela ou mesmo do nosso) e enfim, nós andamos a perder o nosso tempo e espaço mental com um beco!

A vida também é feita de erros. Por mais vazio que isto soe: tal como fazemos com o amor ou o prazer, devemos tentar abraçar a dor quando vem (por muito intensa que seja), pois ela também faz parte da Vida. E a Vida tem piada! Compreendo que custe dizer isto quando se está realmente a sofrer, mas é nisto que eu acredito.

Nexis

PS – E pronto! Aqui termino a exposição sobre a Engenharia das Relações entre rapaz e rapariga. Espero que as 4 ou 5 pessoas que ainda lêem o velho Zupaxis gostem.


7 Responses to “6º e último Bloco: O Fim (Eng. Relações Inter-Sexuais)”


  1. 1 Never_Born
    Quinta-feira, 27 Dezembro, 2007 às 18:13

    Goste-se ou não se goste.
    Concorde-se ou não se concorde, fica o aplauso.
    Uma peça destas da trabalho, inda pra mais a alguem que esta a acabar o curso e tem q ir pra noit tds as 5ªs.

    A minha vénia!

  2. 2 Anonymous
    Quinta-feira, 27 Dezembro, 2007 às 18:28

    Eh mt triste… um “fim-mt-ordinario” para esta saga.

    Zuleika

  3. 3 Zubias
    Quinta-feira, 27 Dezembro, 2007 às 19:09

    Este rapaz multiplica-se!

    Tás em todo lado!

    Abraço

  4. 4 pako
    Sexta-feira, 28 Dezembro, 2007 às 12:05

    É simplesmente a realidade…

    Abraço!

  5. 5 Rute
    Sexta-feira, 28 Dezembro, 2007 às 12:25

    Tanta instrução pra estes lados..

  6. 6 Nexis
    Sexta-feira, 28 Dezembro, 2007 às 13:52

    Opah, obrigado!
    Bom 2008 para todos e todas. Muita felicidade e muito sexo (do bom) para bós todos.

    Romi: N vou entrar em discussões uterinas contigo. Obviamente é um assunto que não domino, e já há gente suficiente a estuda-lo, né? O O.I.U. foi criado simbólicamente para discernir o orgasmo (masculino) dentro da vagina e fora. Vah, não sejas nerd-picuinhas.

    Ruh: ;-*

    Afinal ja ha 8 vah, 9, menos de 11 pessoas que lêem o Zupaxis. O que é bom!

  7. 7 Be
    Quinta-feira, 03 Janeiro, 2008 às 02:43

    Sem dúvida das tuas, se nao a tua melhor criaçao… cabeçinha d ouro…

    Lirismo qb,
    Frontalidade qb,
    Extremismo qb,
    Realista qb.

    Em doses perfeitas… Parabens.

    Abraço


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: